O futuro dos consoles e a ascensão do Streaming! Uma evolução inevitável

O futuro dos consoles e a ascensão do Streaming!

O mercado de hardware cresce a passos largos, uma novidade hoje rapidamente é superada por uma outra amanhã e por ai vai. Dentro desse cenário, temos os consoles que, nessa geração, receberam upgrades na forma de novos aparelhos, como é o caso do Playstation 4 Pro e do Xbox One X, o que gera uma certa controvérsia por parte dos jogadores que não são acostumados a jogar os mesmos jogos contra jogadores em plataformas “tunadas”, digamos assim.

Até mesmo no caso dos jogos Single Player, onde não há o confrontamento de jogadores como é o caso dos Multiplayer, existe uma diferença de resolução, fluidez e até mesmo desempenho aperfeiçoado no carregamento e redução de problemas técnicos.

Pensar em uma próxima geração de consoles com o mesmo modelo dos PC’s já não parece uma ideia muito longe da realidade, pois assim como existem aqueles que querem apenas curtir seus jogos sem levar em conta aspectos técnicos de desempenho, existem também os entusiastas e os que buscam sempre a melhor experiência possível dentro da(s) plataforma(s) escolhida(s).

É possível inclusive imaginar esse cenário já no lançamento dos novos consoles, mas essa já é uma possibilidade bem remota tendo em vista que todo hardware novo requer um certo tempo para ser trabalhado e explorado pelas produtoras e pelos desenvolvedores.

Outra novidade aguardada é o Streaming de jogos, que possibilita que você execute os jogos em qualquer tela sem fazer uso do hardware do dispositivo em questão. Tivemos recentemente o anúncio do Project xCloud da Microsoft, mas os testes estão previstos para 2019, pois é preciso muito estudo e feedback para entender melhor seu funcionamento e como ele vai atender diferentes pessoas em diferentes situações, o que é complexo já que não se trata de um hardware fixo pré-configurado.

De toda forma a proposta parece seguir o modelo híbrido apresentado pelo Nintendo Switch, mas obviamente com muito mais liberdade já que não é preciso adquirir um console todo arquitetado para rodar na TV e no Tablet do aparelho.

O futuro é sempre algo fascinante e de certa forma assustador, pois nos acostumamos com aquilo que temos agora, nossa forma de jogar Videogame agora, mas sempre existe mercado e espaço para os saudosistas e para aqueles que simplesmente apreciam os jogos de uma maneira mais “Clássica“. O importante é haver sempre o maior número de opções possíveis, sempre viáveis pra quem produz e pra quem consome, assim o mercado não fica saturado das mesmas ideias e dos mesmos modelos comerciais.

No fim das contas, a essência “Gamer” é jogar Videogame, parece óbvio e até bobo, mas parando pra pensar, no meio de todo aparato tecnológico e possibilidades para o futuro dos consoles, nada substitui a imersão de experimentar um jogo que se torna não apenas um entretenimento, mas na maioria das vezes, parte permanente das nossas memórias e das nossas vidas.

Gostou do artigo? Compartilhe!
Share on Facebook
Facebook
Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter

Raphael "Oxigenial" Papastathopoulos

Raphael "Oxigenial" Papastathopoulos

30 anos, apaixonado por videogames e pela busca de conhecimento. Considero Osho um dos homens mais inteligentes de todos os tempos. Minha banda preferida é Ramones e meu jogo incompreendido favorito é Styx: Master of Shadows.

Ver perfil de Raphael "Oxigenial" Papastathopoulos →

Comentários

Publicidade

Publicidade