Call of Cthulhu – Análise Entrando na insanidade

Call of Cthulhu - Análise

Baseado em uma história de terror escrita por H.P. Lovecraft em 1926 que foi publicado pela Pulp Magazine Weird Tales em 1928, o game Call of Cthulhu oferece uma jogabilidade investigativa de RPG com elementos Stealth e Survival Horror. Você tem o controle do investigador e veterano de guerra Edward Pierce que deve descobrir os motivos por trás das mortes misteriosas de uma família.

As primeiras informações sobre o jogo surgiram em 2014 quando a Focus Home Interactive anunciou que a Frogwares estava em seu desenvolvimento, mas dois anos depois um novo estúdio “Cyanide” foi apontado para finalizar o game que agora finalmente chegou ao mercado.

Call of Cthulhu foi lançado em 30 de outubro de 2018 para as plataformas Xbox One, Playstation 4 e Computador.

Quando a insanidade bate a sua porta

Logo em seus momentos iniciais você presencia misteriosas visões que estão afetando o investigador quase falido Edward Pierce, que precisa urgentemente de um novo caso para não perder a sua licença de trabalho. Pouco tempo depois um homem bate a sua porta procurando por um investigador para aceitar um caso envolvendo as misteriosas mortes da pintora Sarah Hawkins e sua família na ilha de Darkwater, onde segundo relatos foram mortos em um incêndio.

Mas, apesar do investigador Pierce não se mostrar interessado nesse trabalho ele acaba aceitando o caso e começa a utilizar as suas habilidades investigativas para descobrir detalhes em uma das pinturas de Sarah Hawkins, a quem todos acreditavam possuir uma mente perturbada por criar pinturas difíceis de descrever e até mesmo de se olhar.

Pouco tempo depois Pierce parte em uma viagem até Darkwater para descobrir toda a verdade, mas logo descobre que os acontecimentos não combinam com a versão apresentada oficialmente e quando as suas pistas começam a surgir você descobre muitos mistérios envolvendo a família Hawkins e um mal muito antigo, tornando tudo ainda mais perigoso e perturbador do que se imaginava.

Durante alguns momentos você tem a liberdade de explorar todo um vilarejo na ilha de Darkwater e perguntar para as pessoas sobre informações que possam ajudar a solucionar este caso, mas você pode notar por todo o ambiente obscuro que as pessoas que vivem aqui podem não ser tão amigáveis quanto parecem.

É assim que começa a sua jornada em Call of Cthulhu em busca da verdade por trás de toda essa história de terror psicológico.

Apesar das trevas é possível ver a beleza

Desde os seus momentos iniciais é possível perceber em seu escritório de investigação que os desenvolvedores do jogo capricharam bem para criar um ambiente envolvente e que estimula a exploração e interação com determinados objetos, é possível abrir algumas gavetas e armários em busca de documentos e itens que podem melhorar as suas capacidades investigativas, aumentando as suas chances de entender melhor tudo o que acontece em sua jornada.

Ao contrario do que podem pensar, Call of Cthulhu não apresenta um aspecto visual tão agradável ou vislumbrante como outros títulos que estão sendo lançados no mercado, assim como a movimentação de alguns NPC’s podem parecer um pouco “travadas”. Mas, mesmo assim o jogo consegue oferecer uma experiência agradável por sua capacidade investigativa que intriga a todos aqueles que amam uma boa história de terror e que rapidamente podem se ver jogando por horas ao tentar descobrir os mistérios que se revelam constantemente.

Os arrepios do seu aspecto sonoro

Os desenvolvedores de Call of Cthulhu criaram todo um ambiente que se mostra obscuro não só visualmente como também em todos os efeitos de som no jogo, é possível perceber uma sensação de tensão no ar que se mostra mais forte ao caminhar dentro de cavernas ou enquanto começa a se esgueirar para permanecer escondido de criaturas horripilantes. Apesar de todas as vozes dos personagens no jogo serem em Inglês, elas conseguem se mostrar envolventes, e graças a presença de Legendas em Português do Brasil é possível aproveitar cada momento da história sinistra que você enfrenta.

Cuidado em quem você confia

Um ponto que deve ser mencionado é a presença de diálogos que dependendo da sua resposta podem levar a acontecimentos completamente diferentes, e também é possível utilizar em suas conversas os assuntos relacionados a pistas que você pode ter encontrado, oferecendo ainda mais possibilidades investigativas. Para aumentar ainda mais a tensão, algumas das conversas possuem um “temporizador” que força você a responder rapidamente, e isso pode representar um perigo ainda maior se não for cauteloso durante esses diálogos.

Algo muito interessante e que se mostra com mais frequência conforme você avança na história de Call of Cthulhu é a presença de “itens” que você pode escolher se quer conhecer ou não, como livros com histórias sinistras e conhecimentos ocultos que podem aumentar o seu nível de “insanidade” e se ela ficar muito elevada o seu personagem pode sofrer consequências psicológicas e você pode começar a se perguntar se algumas coisas que esta vendo são reais ou não.

Conclusão

Call of Cthulhu apresenta uma história extraordinária que consegue manter o interesse do jogador em descobrir toda a verdade que esta escondida nesse mundo obscuro, qualquer fã das historias de H.P. Lovecraft vai adorar toda a sua atmosfera. Mas, o preço para descobrir alguns dos mistérios nesse mundo podem custar um alto valor para a sua sanidade, as suas escolhas podem definir se alguém vai ajudar você ou se tornar seu inimigo nessa jornada, por isso todo o cuidado é pouco sobre em quem você confia. Contudo, apesar do jogo apresentar um visual belo em determinados lugares do jogo, em sua maior parte é possível notar uma qualidade muito abaixo do esperado nas texturas do ambiente, o que acaba tirando um pouco do brilho do que poderia ter sido uma experiência ainda mais incrível. Mas, ainda sim a sua história consegue agradar a qualquer amante de jogos de terror e que incluem aspectos surpreendentes de investigação e stealth.


Identificação de Credibilidade da Review

[PC] Steam – Lenda Games “Jucélio V.”
Digital Key provided by Focus Home Interactive

O painel de credibilidade reforça a nossa política de analises verdadeiras para jogos, serviços ou tecnologias que tivemos a oportunidade de jogar ou testar.
Não dê credibilidade a reviews em que o autor se recuse a mostrar o perfil que realmente tenha jogado ou testado o jogo, serviço ou tecnologia, isso vale para qualquer site da internet.


Entenda as nossas notas e avaliações, acesse aqui!

Call of Cthulhu

8.3

Jogabilidade

8.0/10

Aspecto Visual

7.0/10

Aspecto Sonoro

8.5/10

Dificuldade

8.0/10

História

9.5/10

Diversão

9.0/10

Pontos Positivos

  • As mecânicas de investigação e os momentos stealth oferecem uma boa experiência
  • A história do jogo é imersiva e muito interessante

Pontos Negativos

  • Não possui um nível de qualidade visual muito agradável em vários momentos
  • As movimentações de alguns NPC's se mostram um pouco 'travadas'
Gostou do artigo? Compartilhe!
Share on Facebook
Facebook
Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter

Jucélio "Lenda" Verissimo

Jucélio "Lenda" Verissimo

25 Anos, Aficionado por desenvolvimento de jogos e de servidores. Grande fã da banda finlandesa "Poets of the Fall". Considero os melhores jogos de todos os tempos como Grim Fandango, Twinsen's Odyssey, Final Fantasy VIII, Diablo 2, Uncharted 3, Alan Wake e The Witcher 3, Também sou o Fundador da Lenda Games.

Ver perfil de Jucélio "Lenda" Verissimo →

Comentários

Publicidade

Publicidade