Just Cause 4 – Análise No comando do exército do caos

Uma das franquias mais explosivas no mercado esta de cara nova em seu novo titulo, Just Cause 4 é uma Ação/Aventura em terceira pessoa que foi criada pela Avalanche Studios em sua nova versão do motor gráfico Apex Engine, sua publicação ficou a cargo da grandiosa Square Enix.

Esta franquia também é muito conhecida por sua capacidade de causar explosões grandiosas, e pela liberdade que o personagem tem para explorar todo o mundo aberto do jogo enquanto pega carros, motos, aviões e todos os tipos de veículos possíveis.

Just Cause 4 foi lançado em 4 de dezembro de 2018 para as plataformas Xbox One, Playstation 4 e Computador.

Uma guerra climática

Você joga mais uma vez com o protagonista Rico Rodriguez que vai até uma nova região ficcional na América do Sul chamada Solís a pedido de Mira Morales, inicialmente o seu objetivo é descobrir a verdade por trás do “Projeto Illapa” que vem causando atividades climáticas extremas pela região que também é dominada pela ‘Mão Negra’ [um exercito privado que comanda um regime em Solís]. Logo no inicio da sua aventura você começa em uma tentativa de Rico Rodriguez em tentar eliminar Oscar Espinosa, o chefe por trás da Mão Negra, e também Gabriela Morales que lidera este exercito.

Mas, uma forte tempestade de neve é causada por uma maquina capaz de usar o clima como uma arma e você acaba sendo jogado em um local distante e consequentemente a sua tentativa acaba falhando, então rapidamente você começa a formar o ‘Exercito do Caos’ ao lado de Mira Morales e mais alguns amigos, este exercito vai ajudar você a destruir todas as coisas ruins que a ‘Mão Negra’ tem feito neste lugar.

Durante a sua aventura você vai poder usar um “Planador” preso a sua roupa que é similar ao que foi apresentado no terceiro titulo da franquia, ele será muito útil para se movimentar facilmente em alguns lugares, e não podemos esquecer o famoso Gancho [Grappling Hook] para prender, puxar ou empurrar tudo o que ver pela frente.

Tudo isso além de enfrentar a própria força da natureza como tempestades poderosas de raios, tempestades de neve, areia e encontros incríveis com tornados poderosos. Assim será a sua jornada em busca da verdade escondida nas terras de Solís.

Apesar de tudo a sua história não é o ponto forte deste novo titulo da franquia e se mostra um tanto mal projetada, existem varias missões que não possuem nenhuma imaginação e outras que por vezes podem ser concluídas apenas indo de um lugar X até uma area Y ou apenas protegendo uma área especifica.

Outro ponto que deve ser mencionado é sobre o seu inimigo “Oscar Espinosa”, ele aparece pouquíssimas vezes durante o jogo, você chega até a se perguntar como era a aparência do vilão.

A beleza e o caos

De um modo geral ao se jogar em suas configurações gráficas mais altas é possível ter uma experiência visual agradável, com grandes florestas, áreas montanhosas, planícies, cidades e um deserto incrível, é possível ficar planando por vários momentos apenas admirando a ambientação criada no jogo, tudo isso sem contar os efeitos das explosões que chegam a instigar o jogador a causar ainda mais destruição.

Outra coisa que vale apena ser mencionado é a qualidade dos efeitos sonoros do jogo que apesar de não ser tão surpreendente quanto outros jogos lançados no mercado ainda consegue proporcionar bons momentos graças a sua dublagem e a trilha sonora das musicas nos rádios dos veiculos foram muito bem escolhidas, sem contar que o jogo esta totalmente localizado para o Português do Brasil.

Mas apesar disso existem diversos pontos muito negativos com relação ao visual do jogo, como a água que infelizmente é perceptível a inferioridade da qualidade no mar, lagos e cachoeiras apresentadas no jogo, em Just Cause 4 a água parece muito com uma placa estática que quase não tem efeitos, muito inferior da água que estava presente no terceiro titulo da franquia.

Outro ponto negativo é que a versão do jogo para consoles mais básicos como o Xbox One [Fat ou S] apresentou uma péssima qualidade na iluminação dos pelos faciais de alguns personagens do jogo, e também com texturas extremamente claras e cores fortemente saturadas em alguns ambientes e até mesmo em diversas cenas cinemáticas durante as missões.

Muitas vezes foi possível ver a barba de alguns personagens simplesmente brilharem fortemente com tanta luz, vale lembrar que este problema pode ser menos perceptível ao se jogar em um console mais potente como o [One X, PS4 Pro] ou até mesmo em um computador nas configurações mais altas.

Dominando as terras de Solís

Conforme você avança em suas missões pela região de Solís é possível aumentar o domínio do seu exercito e também solicitar as famosas ‘Entregas Aéreas’ onde você pode pedir vários tipos de armas, veículos e até mesmo navios e helicópteros em qualquer lugar do mapa em que estiver, usar este tipo de função pode tornar a sua missão muito mais fácil de ser realizada. Todo o menu destas ‘Entregas Aéreas’ é simples e fácil de entender.

Graças a nova possibilidade de personalizar o gancho do seu personagem é possível criar até 3 combinações diferentes que podem ser alternadas ao pressionar de um botão durante o jogo, com isso é possível criar formas curiosas de brincar com os NPC’s, carros e qualquer tipo de objeto físico do jogo, é possível gastar horas apenas se divertindo com isso.

Outra coisa interessante com relação ao gancho é que você pode colocar nas combinações a capacidade de fazer surgir um propulsor ou um balão, isso proporciona algumas novas e curiosas possibilidades ao jogador, mas esse recurso é mal apresentado pelo jogo e se torna algo criado mais para se divertir aleatoriamente do que para utilizar em missões.

Existe uma complicação inicial na hora de entender como funciona o sistema de “Esquadrões” no mapa, este sistema serve para conquistar novas áreas e consequentemente progredir nas missões, apesar disso com algumas tentativas foi possivel aprender aos poucos como funciona o processo que se mostra uma ideia interessante neste novo jogo da franquia.

Jogabilidade, missões secundarias e mais!

A capacidade de se ‘teleportar’ pelo mapa é muito bem projetada e oferece uma rápida locomoção do jogador por toda a região de Solís, sempre que o jogador desbloquear uma nova área surge alguns pequenos pontos onde você pode ‘teleportar’ rapidamente utilizando um tipo de ‘piloto de transporte’, é possivel ter varios pilotos a disposição ao longo da sua aventura, os tempos de carregamento durante esta função também se mostraram bem rápidos.

O controle e movimentação dos veículos do jogo receberam melhorias, mas ainda não é dos melhores, principalmente dos carros. Ainda é difícil de dirigir com os veículos que podem facilmente sair do seu controle em um piscar de olhos, isso faz com que o jogador prefira se movimentar muitas vezes apenas com o ‘Planador’ da sua roupa.

Existem também diversas atividades secundarias como algumas em que pode percorrer um trajeto no menor tempo possível, passar com um carro em alta velocidade em um determinado lugar etc., apesar de possuir muitas atividades elas acabam se tornando repetitivas e cansativas com o tempo.

As atividades climáticas extremas como os tornados se mostraram algo um pouco raro de se presenciar, com tamanha a divulgação do jogo em torno dessas forças da natureza esperávamos algo mais ‘presente’, que se mostrasse de forma mais constante desde o inicio do jogo.

Conclusão

Neste mais novo titulo da franquia Just Cause é possível notar que Solís é uma região grandiosa para explorar e também presenciar momentos verdadeiramente explosivos e empolgantes ao destruir tudo o que vê pela frente, tudo isso sem contar com a diversão proporcionada ao encontrar com as atividades climáticas extremas como os tornados, e pela grande liberdade de uso do seu “Gancho” que pode receber algumas novas personalizações. A característica sonora de um modo geral também merece ser mencionada por possuir pontos fortes e a sua dublagem em Português do Brasil foi muito bem produzida.

Mas, não podemos deixar de notar alguns problemas com inimigos surgindo do nada em algumas missões, uma qualidade abaixo do esperado em determinados aspectos gráficos e um controle de veículos não muito agradável, são alguns destes pequenos pontos que acabam por prejudicar o que poderia ser uma grande experiência para o jogador, apesar de tudo o game certamente proporciona boas horas de diversão para aqueles que buscam se divertir ao causar grandes explosões e fazer todo o tipo de coisas malucas com o seu gancho.


Identificação de Credibilidade da Review

Jucélio “Lenda” Verissimo
Plataforma: Xbox One [FAT]

Digital Key provided by Square Enix

O painel de credibilidade reforça a nossa política de analises verdadeiras para jogos, serviços ou tecnologias que tivemos a oportunidade de jogar ou testar.
Não dê credibilidade a reviews em que o autor se recuse a mostrar o perfil que realmente tenha jogado ou testado o jogo, serviço ou tecnologia, isso vale para qualquer site da internet.


Entenda as nossas notas e avaliações, acesse aqui!

Just Cause 4

7.6

Jogabilidade

8.0/10

Aspecto Visual

7.0/10

Aspecto Sonoro

8.5/10

Dificuldade

7.0/10

História

6.0/10

Diversão

9.0/10

Pontos Positivos

  • Apesar de um pouco raro de encontrar, os tornados são um ponto muito forte no jogo e oferecem ideias interessantes.
  • Muito divertido para se jogar fazendo coisas malucas com o gancho do personagem.
  • Possui uma boa dublagem para Português do Brasil.

Pontos Negativos

  • Alguns aspectos visuais como a qualidade da água possuem gráficos abaixo do esperado.
  • Foi possível perceber bugs aleatórios e inimigos surgindo do nada em algumas missões.
  • Muitas missões se mostram cansativas ou até mesmo com objetivos repetitivos.
Gostou do artigo? Compartilhe!
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Acompanhe a Lenda Games no Facebook, Twitter, Instagram, Mixer, Twitch e Youtube.

Comentários

Publicidade