Decodificando: Como Far Cry 5 falha em mostrar o fascismo de Montana! No final tudo se torna bastante genérico

Decodificando: Como Far Cry 5 falha em mostrar a verdadeira Montana!

Far Cry 5 antes de seu lançamento me chamou bastante atenção por parecer um jogo que seria mais político em relação as coisas, mostrando um culto fascista, sendo até mesmo uma critica ao que está acontecendo atualmente no mundo, essa ascensão da Alt-right (Direita Alternativa) que engloba uma crença de supremacia branca sobreposta por antissemitismo, neonazismo, islamofobia, anti-feminismo, homofobia  e todo esse tipo de ideias horríveis e retrógradas.

A verdadeira face de Montana
Aryan Nations
Foto do World Congress of Aryan Nations

Na verdadeira Montana dos Estados Unidos, existiram grupos fascistas como neo-nazis, milícias e supremacistas brancos que escolheram este local pela sua demografia que é majoritariamente de pessoas brancas e conservadoras, a ideia era fazer parte de mais três estados formando estados de etnia branca, isso começou em Idaho, Panhandle nos anos 70 quando uma Igreja anti-semítica chamada Church of Jesus Christ-Christian (Igreja de Jesus Cristo-Cristão)  foi fundada por um líder da Ku Klux Klan devido a população dessa da região ser majoritariamente composta de brancos, a Igreja que ficava na propriedade do lago Hayken era chamada de Aryan Nation (Nação Ariana) e foi usada como ponto de encontro que gerou uma onda de crimes violentos nos anos 80.

Ruby Ridge - 1992
Foto de vigilância dos Weavers em sua propriedade em 1992 – Foto por: PBS

No ano de 1992 as forças de segurança federais começaram a prestar atenção na região e um homem foi intimado a responder por porte de armas, o FBI e os US Marshals então foram atrás dele que estava a um ano escondido com sua família em uma cabana em Ruby Ridge que foi cercada pelos federais e se tornou um verdadeiro cerco de onze dias, um confronto inicial tirou a vida de Sammy filho dos Weavers e o cachorro da família, também o vice-marechal Willian Francis Deagan todos mortos neste confronto inicial, Vicki a esposa de Randy Weavers foi morta por um atirador de elite do FBI, todos mortos durante os primeiros dois dias da operação.

O conflito se resolveu com a ajuda de negociadores civis, tendo como resultado a detenção de Kevin Harris, um amigo da família Weaver e no dia seguinte Randy Weaver se rendeu e foi detido junto com seus filhos restantes.

Isso tudo em meio a protestos da Nação Ariana e outros grupos de extrema direita de outros lugares dos EUA, espalhando a ideia de um governo tirano contra uma família indefesa que deu inicio a ideia das milícias antigovernamentais.

Cerco de Waco - Monte Carmelo
Monte Carmelo em chamas. – Reprodução: Wikipedia

Menos de 12 meses depois de Ruby Ridge aconteceu o Cerco de Waco que durou 51 dias e terminou com a morte de 76 membros do grupo religioso conhecido como Branch Davidians, incluindo a morte de seu fundador David Koresh, o que consolidou a ideia de que um governo corrupto estaria vindo atrás de suas armas e propriedades, sendo o único meio de defesa as milícias.

Não podemos esquecer os povos nativos americanos da região, até o seculo 18 a região de Montana era habitada por indígenas e não possui pessoas brancas até a chegada de caçadores de peles franceses do Canadá, depois com a chegada de Lewis e Clark em sua expedição de exploração da américa, que trouxe também soldados brancos e colonialistas que até o próximo século quase exterminaram as tribos indígenas dessa região.

Todos esses capítulos da historia da região que cerca Montana moldaram a ideologia dos supremacistas brancos de criar um país branco etnicamente liderado por um líder que está preparado para enfrentar o governo com armas e que é um culto a esse líder religioso cristão que está acima do bem e do mal e que defende os valores ultraconservadores usando milicias fortemente armadas.

Atualmente em Montana temos vários grupos fascistas, o American Security of Rally que é anti-muçulmanos, The Daily Stormer que são neo-nazis, American Freedom Party que são nacionalistas brancos e ACT for America que são grupos associados ao American Freedom Party na região que poderiam servir de inspiração para o culto de Joseph Seed, mas que é descaracterizado por uma aceitação de qualquer um, o que é completamente contrario a realidade.

O lado genérico de Far Cry 5
Far Cry 5
Far Cry 5 – Santa Ceia de Joseph Seed.

Apesar de ser um ótimo jogo de tiro em primeira pessoa e sua história se passar nos tempos atuais, ele se torna uma experiência genérica e mal explorada tendo em vista o contexto cultural da verdadeira Montana, tirando completamente a imersão do jogador ao conhecer a história verdadeira que se baseou.

Far Cry 5
Far Cry 5 – Gula é um dos pecados capitais.

Em Far Cry 5 temos muitas pessoas negras no culto de Joseph Seed que não mostra mas que se trata de um culto cristão como o da Church of Jesus Christ-Christian, só que não fala de forma alguma sobre Jesus, historicamente racismo faz parte desse tipo de culto, portanto é totalmente estranho a Ubisoft colocar pessoas negras em um culto como esse de forma abundante.

Existe uma grande ausência de nativos americanos, o que é mais bizarro ainda, já que na região onde o jogo se passa existem 8 nações indígenas que foram as principais vitimas do supremacismo branco, sendo a única representação um nativo americano em uma milícia antigovernamental que são tradicionalmente também anti-nativos.

Wolfenstein 2: The New Colossus
Wolfenstein 2: The New Colossus – Horton Boone é um padre comunista e bebado que é lider de celula da resistência contra os nazistas.

Em Wolfenstein II: The New Colossus são apresentados personagens anti-facistas que não estão lutando contra a ideologia nazista apenas por sobrevivência, mas por ser uma luta diária contra o ódio propagado por essas ideias retrogradas que estão cada vez mais ganhando voz na sociedade moderna, o que Far Cry 5 faz é pegar o tema do nacionalismo branco e milícias antigovernamentais e transformar em algo genérico e irrelevante como uma desculpa para um jogo de tiro que não teve um bom esforço colocado na escrita de sua história.

Decodificando é uma coluna que fala sobre a cultura gamer juntando outros temas para mostrar que videogames são parte importante da cultura pop. Criticas, sugestões ou elogios nos comentários!

Gostou do artigo? Compartilhe!
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Whatsapp
Whatsapp

Sulean "Nymphetamine" Moura

Sulean "Nymphetamine" Moura

Jogando desde os 5 anos começando pelo Megadrive + 6 PAK, continuando no Super Nintendo, PSOne até chegar no PC, Headbanger há mais de uma década, hoje escrevo sobre jogos e a indústria de jogos.

Ver perfil de Sulean "Nymphetamine" Moura →

Comentários

Publicidade

Publicidade